Avançar para o conteúdo principal

"Por Terras de Ribacoa"

Hoje dei início a um périplo de pequenas aventuras, que denominei de "voltas vadias", com um bonito percurso por terras de Ribacoa.
Fiz o convite a alguns amigos para me acompanharem, tendo respondido à chamada o meu irmão Luís, o Hugo Martins e o Luís Pedro.
Saímos de Castelo Branco pelas 07h00 rumo ao Sabugal, onde estacionamos as viaturas.
Preparamos as bicicletas e o restante material e fizémo-nos à estrada pelas 08h30, rumo a Almeida.
A manhã bastante fria, entre o 1 grau negativo e 1 grau positivo, não nos demoveu e pedalamos alegremente, passando pela Quinta de S. Bartolomeu, Rapoula do Coa, Termas do Cró, Peroficó e Cerdeira onde paramos para tirar umas fotos à ponte sobre o Rio Noémi. Um local aprazível.
Continuamos o percurso e mais à frente cruzamos o Rio Coa, para subirmos à fortificada vila de Almeida.
Entramos na fortaleza pela Porta de Santo António e percorremos as pitorescas ruelas da vila, registando, aqui e ali, a nossa passagem com algumas fotos.

A hora de almoço chegou entretanto e, nada melhor que uma bela refeição no Restaurante Granitus, onde se come bem e a preços bem comedidos.
O rancho e a posta foram as nossas opções, um pouco agigantadas para atletas, mas nós somos apenas cicloturistas e gostamos de gozar a vida com umas boas pedaladas lúdicas, divertidas e gastronómicas, de preferência em boa companhia!
Visita feita e barriguinha cheia e estava na hora de regressar ao Sabugal.
Como os meus percursos são sempre circulares, regressamos por Vilar Formoso, nave de haver e Aldeia da Ponte, onde nos divertimos um pouco com um par de peripécias fotográficas, seguindo depois por Alfaiates, Soito e Quadrazais, onde paramos à saída para a Serra da Malcata, para um par de fotos ao bonito Rio Coa.
Cruzamos a Serra por uma lindíssima estradinha panorâmica até á aldeia de Malcata que cruzamos e depois de cruzar a ponte sobre a Barragem, completamos os derradeiros 8 kms até ao Sabugal, uma das bonitas vilas portuguesas que nos desafia a uma dança de sentidos A natureza aqui é deslumbrante . . .tão delicada e frágil, como agreste e poderosa.

Depois de arrumadas as bicicletas e vestirmos uma roupa sequinha, fomos em busca dum lanchinho para acomodar a "coisa" e passar uns momentos em alegre tertúlia.
O Bar do Tó, o meu preferido, pelos seus belos petiscos bem à nossa moda já fechou e a pizzaria só abria às 17h00. Contentamo-nos com umas tostas no café Girassol, onde acabamos de por a conversa em dia.
Depois das despedidas regressamos à cidade, satisfeitos com a primeira volta vadia de 2018 e já a pensar na segunda, planeada para breve, pelas faldas da nossa bela Serra da Estrela, com visita a algumas das suas míticas aldeias.



Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, na estrada, ou fora deles.
Beijos abraços e apertos de mão.
AC





Comentários

Mensagens populares deste blogue

Alvaiade, Perdigão e Vila Velha de Rodão"

Hoje, com um pelotão mais numeroso, fomos tomar o cafézinho matinal à Bolaria Rodense, em Vila Velha de Rodão. Abandonamos a cidade pouco depois das 08h30 e rumamos ao Perdigão, com passagem por Sarnadas de Rodão e Alvaiade. Seguimos depois pela estradinha panorâmica que liga o Perdigão a Vila Velha de Rodão, usufruindo da bonitas paisagens sobre a Serra das Talhadas e Vilas Ruivas. Depois da pequena tertúlia na Bolaria Rodense e já com os níveis repostos, rumamos à cidade, com passagem pelo Coxerro e Sarnadas. Aqui voltamos a encontrar o Joaquim Cabarrão e o Salvado, que deram uma volta mais pequena e juntos seguimos até à entrada da cidade, onde nos voltamos a separar, pois o restante grupo foi pela variante à Carapalha. Numa manhã já bem primaveril, alinharam para esta bonita volta, além de mim, o Jorge Palma, Tó Pinto, Fernando "Caraíbas", Sr. Silva, António Leandro e o João Salavessa.  Foram 75 kms, repletos de divertidas pedaladas, na companhia deste animado grupo de …

"Hoje fomos à romaria"

A manhã acordou hoje límpida e solarenga, num bom incentivo para um bom par de pedaladas asfálticas. Quando saí da garagem já o Álvaro e o Leandro me esperavam. Juntos fomos até à Rotunda das Violetas, ao encontro do Luís Lourenço e do Nuno Eusébio. Pouco depois chegou o Jorge Palma. Para não perder a prática tive ainda que mudar a câmara de ar da minha roda traseira que vinha com um pequeno furo, originado por uma limalha. Já com a "ézinha" pronta a rodar, fizemo-nos à estrada, abandonando a cidade pela Milhã, rumo ao Juncal do Campo pela estradinha panorâmica da Quinta de Valverde. Cruzamos a aldeia e entroncamos na N.12, onde fletimos à direita, rumo ao Padrão, uma pequena aldeia que este fim de semana se encontra engalanada para a festa da Nossa Senhora da Saúde. Entramos na aldeia e fomos tomar o cafezinho matinal no bar junto ao adro da igreja, gentilmente servido por um senhor, creio que festeiro, que fez questão de oferecer os cafezinhos e que agradecemos. Descemos …

"Rota do Bucho/2016"

Pelo segundo ano consecutivo, resolvi editar a Rota do Bucho, com um passeio pelos trilhos de Malpica do Tejo, uma bonita aldeia onde tenho raízes, que termina à mesa com um belo bucho de ossos à boa moda malpiqueira. Convidei um "magote" de amigos, dos quais dezasseis disseram presente. O ponto de reunião, foi desta vez na Pastelaria Cantinho dos Sabores, na Rotunda da Racha, onde tomamos o cafézinho matinal. Pelas 08h20 partimos em pelotão auto rumo a Malpica do Tejo, onde o Rui e a Sandra Tapadas já nos aguardavam. A previsão era de vento forte e alguns aguaceiros e desta vez o S. Pedro não nos "despontou", mandou mesmo umas belas rajadas de vento e umas belas bátegas de água, que nos atingiram por três vezes, um pouco no início desta pequena aventura, sensivelmente a meio, quando estávamos à vista de um local de abrigo, a aldeia de Lentiscais e no final, em jeito de banho. Pelas 09h00, como planeado, abandonávamos a aldeia rumo ao Monte do Couto do Alberto, en…