quinta-feira, 21 de março de 2013

"Eis que a Primavera chegou!"

A Primavera chegou e eu e o amigo Carlos Sales resolvemos ir "cumprimentá-la", aproveitando este belo dia de sol, no seu primeiro dia.
Saímos da cidade pelas 08h30 pelo single do Quinteiro e rumámos ao Forninho do Bispo.
Dia primaveril explêndido com os verdes quase no seu auge e a formar paisagens fantásticas.
Virámos para o Monte do Zeferino e cruzámos o Ribeiro do Olival Basto para o Cutileiro, virando o azimute às queijeiras da Rebouça.
Deixámos a Rebouça e entrámos no estradão da Granja, que seguimos até ao Monte das Sesmarias, que ladeámos, passando seguidamente pelo Casal dos Mourões em direção à Capa Rota.
Aqui fui em busca de uns trilhos onde já não pedalava há bastante tempo, descendo à Risca do Ouro, para cruzar a Ribeirinha por uma singular passagem para a Barroca do Galhardo, que ladeámos durante algum tempo, seguindo depois para a Balorca e Tapada da Nogueira, a porta de entrada nos Escalos de Baixo, com paragem quase obrigatória no Café "O Lanche", para uma bebida retemperadora e comer algo sólido.
Saimos dos Escalos em direção ao Vale de Figueira e Quinta do Carvalho para chegarmos à Estação de Alcains pelo lado dos depósitos.
Optámos por seguir um pouco pela variante, para não entrarmos na vila e junto ao Vale Capitão, virámos à direita para o Casal da Fonte Chã, seguindo depois para o Monte da Folha da Lardosa.
Aqui cruzámos a N.18 para o Lameiro do Salgueiro, pedalando por bonitos estradões ladeados por belos carvalhos, sempre com a Serra da Gardunha como pano de fundo.
Chegámos ao Pontão, onde cruzámos o Rio Ocreza e passando pelo Porto Mieiro, chegámos à Póvoa de Rio de Moinhos.
Depois da passagem pelo Santuário de Nª. Sra. da Encarnação subimos ao Monteiro e seguimos para a Nave Redonda, Vale do Nuno, Barroca do Fundo e Quinta de Valverde para entrarmos pouco depois na M.551, que seguimos até à Tapada das Figueiras.
Passámos pelo Parque de Campismo e junto à Quinta dos Carvalhos para entrarmos na cidade com 64 kms pedalados num bonita manhã solarenga, trilhando bonitos trilhos e apreciando bonitas paisagens, neste primeiro dia de primavera.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC
 

segunda-feira, 18 de março de 2013

"De volta às lides velocipédicas"

Há quase um mês que afastei das lides velocipédicas para tentar debelar uma velha lesão nos joelhos, adquirida ainda nos tempos em corria desenfreadamente atrás da bola.
 De vez em quando faz-me uma visita e já há muitos anos que não me atacava desta forma, mandando-me mesmo para o estaleiro.
Já na passada quinta feira fui dar uma voltinha de roda fina com o amigo Jorge Palma e apesar de sentir que "a coisa" ainda não está bem, acabei satisfeito, pois a sensação dolorosa não apareceu.
Hoje, resolvi fazer um teste mais prolongado e cheguei a casa satisfeito com o desempenho, apesar de ficar com a certeza de que tenho que continuar na "oficina", até que o "mecânico" dê o trabalho por concluido.
Assim e de novo acompanhado pelo amigo Jorge, fomos até Penamacor, por ser um percurso pouco complicado e já com alguma "ondulação".
Paámos na Pastelaria, à saida de S. Miguel d'Acha, para a cafézinho e bolinho matinais e continuámos até Penamacor, onde efetuámos nova paragem para repor energias e conversar mais um pouco.
Regressámos pelo mesmo trajeto, agora com a agravante de um incomodativo vento frontal até á cidade.
Se na passada quinta feira fiz 2 horas de selim, hoje dobrei para as quatro, culminando com 107 kms na sempre agradável companhia do Jorge Palma.
Cheguei a casa "todo empenado" mas com um bom "feeling" e com uma vontade imensa de voltar às minhas voltinhas vadias, quer com a asfáltica, quer com a de Btt.
 
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos, ou fora deles.
AC