domingo, 31 de julho de 2011

"III Passeio Btt de Olêdo"

Para terminar o mês de Julho, fui hoje participar no "III Passeio de Btt de Olêdo", aqui mesmo à porta de casa.
De facto, já não ligo muito aos eventos maratonistas, onde a adrenalina é adquirida por uns quantos euros e a escolha do evento, recai sobre o desenho do jersey, o "marketing" da atualidade na angariação de participantes.
Já não tenho pachorra para andar nos trilhos a estorvar os "cracks" do pedal, na sua abnegada luta por um lugar meritório na tabela classificativa, que porventura lhes dará algum destaque nas conversas na tasca lá da aldeia.
Prefiro desencantar por ai uns trilhos, partilhá-los com alguns amigos e divertir-me "à borliú" sem "papelinhos numerados" pendurados nas "bichas" dos cabos de travão da bike.
Quero com isto dizer, que ainda por aí se fazem uns bons passeios, onde gosto de participar. Olêdo é um deles!!!
Pelo trabalho na escolha de trilhos, com a preocupação de variar de ano para ano, a pensar nos participantes e não nos eventuais patrocínios. Pela simpatia como somos recebidos e pelo ambiente festivo do passeio.
Pela forma como são inseridos nas festas da aldeia, criando logo à partida um ambiente de festa e onde há sempre um antes e um depois do evento.
A malta vai-se juntando, quase sempre à mesa, claro está, e entre conversas banais vai degustando aquelas preciosas iguarias, que tanto nos prejudicam a busca de um perfil menos ovalizado.
Há gente que gosta e sabe bem receber. E essa gente, foram neste caso, a rapaziada da comissão de festas de Olêdo,onde este passeio estava inserido.
Logo para começar, um pequeno almoço a fazer inveja a muitos almoços apresentados noutros eventos.
Um único abastecimento sólido, em 37 kms, que até dava para esticar a manta e fazer um piquenique. Não consigo entender como há rapaziada a passar na "broa" numa zona destas, com tanta comidinha boa e não fazer uma curta paragem, que fosse!!!
No final, aqueles banhinhos nas tendas à "mohamed" foram um espetáculo. Um bom exemplo da peocupação da organização em prol dos participantes. Senão, era pegar nos "carrinhos" e ir tomar banhinho a Idanha-a-Nova!!!
Sensívelmente a meio do percurso, encostei ao Rui Pires e ao Barata e seguimos sempre juntos até final.
No final, encostámos as bikes junto a uma "tiradeira" de loiras imperiais e, palavra puxa palavra, um molhinho de palavras, puxava uma rodada, e por ali nos entretivemos até que nos avisaram que o almoço estava pronto a ser servido.
Mas havia um pequeno problema. É que até nos esquecemos de ir tomar banho!!! Lá fomos nós ao banho, antes que se acabasse a água fria!!!
Depois de um banho divertido, fomos ao almoço.
Simpatia, bom almoço, uma boa "regadela" com mais umas imperiais fresquinhas, mantiveram-nos sentados à mesa durante bastante tempo.
Fomos ao cafézinho da praxe, mais umas imperiais, que mais tarde passaram a minis, um par de melões oferecidos por um "gitano", que por ali passou a vender melões na festa, mas que não nos conseguiu convencer. Depois mais umas minis, um bom "grupeto" à conversa, onde o tema chegou a ser o horário da "carreira" cá para a urbe. Ainda mais umas minis e . . . bem, a partir daqui, acho que tive um apagão, já não me lembro de mais nada.
Lembro-me sim, da minha Maria me ir chamar ao sofá da sala para ir jantar.
"C'um catano", com esta conversa toda, até me esqueci de perguntar em que lugar fiquei na classificação deste excelente passeio.
Desculpem lá esta conversa da treta, mas o facto é que ainda estou divertido com o excelente dia de btt e convívio com que fui brindado em Olêdo.
Um abraço ao Zé Costa, Tiago, Manel, Beta e companhia, pela excelente organização, pelos bonitos trilhos e pelas maravilhosas horas de divertimento e convívio que desfrutei, aí em Olêdo.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

sábado, 30 de julho de 2011

"Bemposta"

Pelas 08h, fui, já na companhia do Pedro Barroca, ter com a rapaziada do "Continente".

Quando chegámos, já ali se encontravam o Paulo Jalles, o Fernando e o Paulinho, chegando pouco depois o Marco.
pelas 08h10, saímos então para a nossa voltinha de fim de semana em direcção a Bemposta, a mais pequena freguesia do concelho de Penamacor.
Com passagem por Escalos de Baixo, rumámos ao Ladoeiro, onde parámos para a matinal dose de cafeína e dois dedos de conversa.
O próximo desafio era Idanha-a-Nova, com a sua conhecida subida da Sra da Graça.
Após a passagem pela Vila, continuámos, agora em direcção a Proença-a-Velha, com a já habitual "resmunguice" de alguns companheiros que não gostam nada do terrível empedrado que há que ultrapassar, para cruzar toda a povoação.
Num constante sobe e desce, chegámos a Medelim, uma das cinco colónias romanas em que foi dividida a antiga Lusitânea e conhecida por muitos, como a aldeia dos balcões.
Por uma pequena e panorâmica estrada, com um piso um pouco irregular, fomos até Bemposta, onde efetuámos uma pequena paragem para abastecer de água na fonte local.
Continuámos seguidamente até às proximidades de Pedrogão de S. Pedro, onde virámos à esquerda para S. Miguel D'Acha, com nova paragem no café da D. Maria, para saborear uma bebida fresca, que o calor hoje apertava bastante.
A bom rolar, chegámos a S. Gens, virando o azimute aos Escalos de Cima, seguindo-se Escalos de Baixo, para 13 kms depois chegarmos á cidade, pelas 12h40, com 109 kms pedalados já sob um sol abrasador, compensado pela excelente camaradagem, proporcionando uma excelente manhã de pedaladas.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

quinta-feira, 28 de julho de 2011

"Pontão do Laranjeiro"

Hoje saí de casa com intenção de efetuar uns 100 km.
Passei pelo "Continente" e já ali se encontrava o Filipe. Pouco depois chegou o Marco, o Fernando e o Dino.

Convidei-os a irmos até ao Pontão do Laranjeiro, por Sarzedas e regressarmos pelas Moitas.
A rapaziada aceitou, com exceção do Dino que disse ir dar uma voltinha "menos ondulada".
Saímos então em direção a Sarzedas, com passagem na Taberna Seca, onde está ainda bem presente o flagelo do último incêndio, que assolou aquela zona.
Subimos aos Vilares, após descida ao Rio Ocreza e passámos pelo Cabeço do Infante.
Das Sarzedas, rumámos à Catraia Cimeira, com passagem em Vale de Água e Monte Gordo, parando no Café das Bombas para o cafézinho da manhã.
Já com o cafézinho tomado, continuámos o nosso passeio de hoje, agora em direcção à Sobreira Formosa, com paragem uns kms mais à frente, na fonte da Froia, para atestar de água fresca.
Cruzámos Sobreira Formosa e por Pucariço e Vale D'Urso, chegámos ao Pontão d Laranjeiro, onde virámos à esquerda em direcção às Moitas.
Agora com o vento frontal, passámos Moitas, Vale Clérigo, Pedra do Altar e Vale da Mua, sempre em bom rimo, em terreno plano e descendente, até à ponte sobre o Rio Ocreza, para iniciarmos a suave subida ao Perdigão.
A partir daqui, a subida continuou, até ao alto da Serra, descendo depois para Alvaiade.
Já no antigo IP2, continuámos, agora em direcção á cidade, efetuando uma ultima paragem nas bombas de Sarnadas, para nos refrescarmos com uma bebida.
Até Castelo Branco, foi um instante e, pelas 12h30, estávamos a entrar na cidade, com 100 kms pedalados sob um sol que já "abrasa" e onde as fontes à beira, da estrada passaram já a ser as nossas melhores aliadas, nestes dias calorosos de verão.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

terça-feira, 26 de julho de 2011

"Manhã calma e relaxante"

Tinha posto o despertador para a 6h, com intenção de ir hoje efetuar uma volta longa.
Porém, de manhã, o "feeling", não era lá grande coisa, sentia algum mal estar e um pouco cansado.
resolvi então ir juntar-me á rapaziada do "Continente", para umas pedaladas mais descontraídas e, assim foi.

Pelas 08h lá estava eu. Já ali se encontravam o Joaquim Cabarrão, o Ti João, o Filipe e o Joaquim, chegando depois o Marco.
Já éramos seis e fizemo-nos à estrada e hoje, por sugestão do Ti João, fomos pedalar no novo troço alcatroado, que começa um pouco antes de Sobral do Campo e vai até ao Louriçal do Campo.
Passámos no Salgueiro do Campo, Juncal e Freixial do Campo e Tinalhas, parande depois nas bombas da Soalheira para a matinal dose de cafeína.
Andamento sempre calmo e bastante descontraído, era mesmo o que necessitava hoje, para recuperar um pouco. Passámos ao cruzamento da Lardosa e entrámos na variante de Alcains, para deixarmos o Ti João nos Escalos de Baixo, após passagem por Escalos de Cima.
Chegámos à cidade ainda cedo, com 74 kms pedalados calmamente e hoje mais agrupados.
Uma boa manhã de pedaladas, calma e bastante descontraída.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

domingo, 24 de julho de 2011

"Alpedrinha"

Hoje fui ter com a rapaziada do "Continente". Cheguei ao local, ainda não eram 08h e nem vivalma. Estranho!!! Se calhar foi tudo de férias!!!

Como tinha préviamente combinado com o Pedro Barroca irmos ali ter, sabia que pelos menos um companheiro haveria de ter. Por outro lado, também não haveria problema. A minha bike é monolugar e eu até gosto de dar umas pedaladas em solitário.
Estava eu nestes "entretantos", quando aparece o Pedro. Logo depois, aparece o João Afonso com a sua nova "princesa". Já tinha companheiros de pedalada.
Combinámos então ir até ao Fundão e voltar.
O vento que se fazia sentir, dificultava bastante a pedalada e resolvemos ficar por Alpedrinha.
Ali tomámos o cafézinho da manhã e como no regresso, a previsão era de que o vento estaria a favor, regressámos por S. Miguel D'Acha, passando pelas Termas da Touca e Orca.
Em S. Miguel, parámos no Café da D. Maria para uma bebida fresca e continuámos, já em direcção a Castelo Branco, com passagem por S. Gens, Escalos de Cima e Escalos de Baixo.
Eram 11h40, quando entrámos na cidade, com 84 kms pedalados, para uma última paragem na esplanada da Rotunda da Racha, para a "sossegazinha".
Dois dedos de conversa, as despedidas da praxe e assim se passou mais uma manhã domingueira, em amena cavaqueira.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

sábado, 23 de julho de 2011

Alvito da Beira"

Entusiasmado com o seu novo "brinquedo", o João Afonso criou um percurso à sua moda e desta vez sem os habituais singles e lá fomos, eu, ele e o Silvério, dar a voltinha com as asfálticas.

Como o João queria certamente verificar como se comportava a "menina" Canyon Aeroad CF 9.0 SL, com a roda da frente um pouco mais elevada que a traseira, lá tivemos que ir até ali para os lados do Sesmo e da Mó.
Mó de moer, pois claro, pois tivemos que moer um pouco os crank's e as pernitas para sairmos dalí!!!
Fui ter com ele à Quinta Dr. Beirão, pelas 08h e logo alí, tomámos o cafézinho matinal.
Saímos depois em direcção ao Salgueiro do Campo, que cruzámos e continuámos até às proximidades do Padrão.
Aqui, virámos à esquerda e por Vale Ferradas, Grade e Vale Maria Dona, chegámos à Azenha de Cima, onde virámos novamente à esquerda, para após uma boa subida, virármos à direita para o Sesmo, continuando pelo Sesminho e Mó, onde chegámos após uma "moída" subida com pendente entre os 10% e os 13%. Descermos rápidamente ao Alvito da Beira, onde encostámos as bikes na esplanada do Complexo da Praia Fluvial, para bebermos uma bebida fresca, dar dois dedos de conversa e desfrutar um pouco daquele bonito local. Entretanto, chegou o João Caetano, de bike, que nos fez companhia a partir dalí.
Mais uma longa subida até ao cruzamento com a EN.233, a qual seguimos até ao Casal da Ribeira, com passagem pela Catraia Cimeira.
No Casal da Ribeira estava combinado um petisco para a rapaziada, mas como desta vez tinha o compromisso de estar em casa para almoço de família, bebi uma bebida fresca, despedi-me da rapaziada e fiz-me à estrada, pois já eram 11h15.
O João Afonso o Silvério e o João Caetano, por ali ficaram, com pena minha por desta vez não lhes fazer companhia.

O rumo agora, era já Castelo Branco, onde entrei pelas 12h20, com 90 kms, parte deles pedalados na companhia destes excelentes amigos, passando ainda por Monte Gordo, Vale D'Água, Sarzedas, Cabeço do Infante e Taberna Seca.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

quinta-feira, 21 de julho de 2011

"Martianas"

Apesar do vento que logo pela manhã se fazia sentir, enchi-me de coragem e fui pedalar.
O facto é que já estou farto de "ventania". Dezenas e dezenas de kms com vento frontal, dão cabo do "cortiço" a um homem!!!

Partida às 08h, velocidade de cruzeiro, com o objetivo de pedalar para aí uns 100 kms e, aí vou eu, em direção à Aldeia de Martianas. Um pequeno aglomerado de casas, cuja única rua é a estrada que a atravessa.

Passei a Zona Industrial de Alcains e a Rotunda ao Cruzamento para a Lardosa e após a passagem sobre a A23, virei à esquerda, duas centenas de metros mais á frente, para entrar na Aldeia de Soalheira, no sopé da Serra da Gardunha, parando nas bombas para atestar de cafeína, com a "bica" da praxe.
Tomei depois a direção das Atalaias, passando pela Póvoa da Atalaia e seguidamente Atalaia do Campo.
A meio trajeto para as Zebras, cruzei-me com a malta do "Continente", um bom "punhado" de malta e uma senhora, a "Tê", agora também rendida à asfáltica, que lá íam entretidos, em mais um dos seus passeios das "quintas".
Ao cruzamento das Zebras, virei à esquerda para a Orca, onde pedalei naquele suplício de asfalto, em tão mau estado, que se tivesse um estradão paralelo, era por lá que pedalava.
E assin continuei, após passar a Orca, agora em direcção às Martianas. Cada vez pior.
Uns kms mais à frente, o piso melhorou substancialmente, com a entrada no Concelho de Penamacor.

Entrei depois na Aldeia de Santa Margarida e à saída desta, virei de novo à esquerda para Pedrógão de S. Pedro.
Não cheguei a entrar na povoação, virando à direita para Proença-a-Velha e sempre pedalando e apreciando paisagens e aldeias por onde passava, continuei até S. Miguel D'Acha, onde parei, no Café da D. Maria, para uma bebida fresca e dois dedos de conversa.
Desci depois a S. Gens e continuei para os Escalos de Cima e Escalos de Baixo, já em direção à cidade, onde cheguei pelas 12h15, com 102 kms de pedalada em solitário, por opção, em busca do ritmo ideal para a minha aventura deste verão.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC

quarta-feira, 20 de julho de 2011

"De volta ao Btt"

Desde o dia 27 de Junho, dia em que decorreu o meu Raide na Sierra de Gata, que não montava a minha "terráquea".
Assim e a convite do Carlos Sales, também ele arredado das lides betêtisticas há cerca de mês e meio, fomos hoje dar uma voltinha de Btt.
Combinámoos pelas 08h30 na Pastelaria "A Ministra", na Carapalha, onde tomei o cafézinho matinal, enquanto aguardava pelo Carlos.
Depois de muitos kms com a asfáltica, o retorno ao btt e nomeadamente as primeiras pedaladas, têm uma sensação um pouco estranha, mas que rápidamente adorei.
Evitando grandes desníveis, pois o Carlos anda ainda à procura da performance que já teve este ano, fomos até aos Amarelos, em busca do panike de chocolate e de uma bebida fresca.
Saímos pela zona da Talagueira e Baixo da Maria com rumo às Benquerenças, que cruzámos rápidamente para nos divertirmos um pouco nalguns dos singles da Azinheira, onde se nota que a rapaziada do pedal anda um pouco arredada daqueles belos trilhos, pela falta de vestígios.
À passagem pela Represa, lá fui cumprimentar o meu velho amigo "Ti Oliveira", com os seus 84 anos de idade, que andava no seu hobi preferido, a manutenção da sua bem cuidada horta.
Por ali estivemos um pouco dando, dois dedos de conversa e, lá tivemos que beber um par de "jiribitas", que o "Ti Oliveira" faz sempre questão de oferecer, fazendo-nos também companhia. Um bom momento!!!
Seguimos depois até aos Amarelos, onde não falhou a degustação do panike de chocolate com a bebidinha fresca, pois hoje o calor bem apertava.
Sempre em andamento relaxado, eu e o Carlos, lá fomos pondo a conversa em dia, fazendo uma passagem pelo bonito Vale das Quedas, rumando depois às Olelas, onde gosto sempre de ver aquele belo postal . . . Aquela paisagem com a cidade de Castelo Branco como pano de fundo!!!
Tomámos seguidamente a direcção dos Maxiais, mas não entrámos na povoação, pedalando pelos vestígios da antiga N.18 até à zona Industrial, para nos dirigirmos depois à loja do amigo João Afonso, convidá-lo para uma bjeca fresquinha, que ele fez questão de oferecer.
45 kms calmos e relaxantes, numa bonita manhã, já mais calorosa e hoje, também menos ventosa.

Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC