domingo, 30 de janeiro de 2011

"Aniversário SelindBtt"

Decorreu neste domingo, mais um aniversário do Grupo SelindaBtt, sediado na Vila da Sertã.
Um grupo de rapaziada excelente e bom organizador de eventos de btt, já com provas dadas, desde a sua criação. Que o diga quem costuma participar, ou já participou, na Descida do Picoto, ou no Raid XL.
Este ano, acompanharam-me os amigos Silvério, João Afonso e João Caetano, também eles convidados pelo grupo.
À chegada á Sertã, a animação já era notória, com música ambiente na Avenida da Carvalha e já muita rapaziada por ali espalhada, na preparação das bikes e outros, no snack bar, a aconchegar o corpinho.
Foi bom rever bastantes amigos, espalhados por outros recantos e conviver neste ambiente de sã camaradagem, onde a animação é garantida.
Depois de reunida toda a malta, lá partimos para os trilhos, já perto das 09h30.
Subidas na Sertã, é quase um ex-libris e descidas, também as há para todos os gostos.
Agora, single tracks . . . lindos, magníficos, adrenalínicos, arrebatadores, foi o mote do passeio deste ano.

Apenas, para alguns, 35 kms de lindas paisagens e trilhos a condizer. Um grupo de rapaziada excelente, onde o convívio, é mesmo à moda antiga . . . convive-se . . . desde começa, até que acaba. Antes, durante e depois.

Há por alí, animadores natos. Coimbra . . . não é só terra de estudantes, mas também terra de bons aventureiros e "bons vivants". Foi a malta que mais animou o grupo, com momentos hilariantes, onde se pode dizer que os intervalos, eram curtos!!!
Obrigado malta, pelos bons momentos na vossa companhia.
De quase todos os recantos, vieram grupos, ou malta isolada, conviver com os "SelindaBtt", um grupo de malta amiga e dinamizadora.
Depois do banhinho retemperador, seguiu-se um almoço estupendo, de arroz de maranho e montes de iguarias, onde toda a rapaziada encheu o papinho.
Seguiu-se o sorteio de alguns brindes e após o cafézinho, despedimo-nos dos amigos e restantes companheiros e regressámos á nossa cidade.
Mais um dia memorável, onde o btt, foi o impulso para mais um convívio entre amigos das mais diversas regiões.
Isto, graças à dinâmica do grupo "SelindaBtt"
O meu obrigado e muitos parabéns, por mais um aniversário. No próximo ano, espero estar presente.
Um abraço a todos.
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . . ou fora deles.
AC
<>
Video

Aniversário SelindaBtt from actrilhos on Vimeo.

sábado, 29 de janeiro de 2011

"Vila Velha de Rodão"

Apesar da chuva anunciada, o S. Pedro brindou-nos com uma manhã solarenga, apesar de algo fria.

Junto à rotunda do Modelo, compareceram hoje para a voltinha de fim de semana, eu, AC, o Silvério, o Jorge Palma, o Pedro Barroca e o Fernando.
Saímos pelas 09h10, desta vez com rumo a Vila Velha de Rodão, pela antina N.18.
Em Vila Velha, parámos na padaria na zona industrial, para a matinal dose de cafeína.
Subimos seguidamente à vila, em direcção a Alvaiade, onde entrámos no velho IP2, em direção a Castelo Branco.

Com chegada pelas 11h55 e 65 kms pedalados, efetuámos ainda uma derradeira paragem no bar da Associação do Valongo, para uma "sossegazinha e dois dedos de conversa".
<>
Fiquem bem
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

"S. Miguel D'Acha"

Mais um voltinha rotineira, hoje na companhia do Marco, do Micaelo, do Filipe, do Fernando e eu, AC, juntando-se ainda ao grupo, na recta do Lanço Grande, o "Ti João" dos Escalos e o Tó Pinto.
Pelos Escalos de Baixo e de Cima, rumámos a S. Gens, para afrontarmos a única dificuldade do dia, a subida da Serra de S. Miguel.

Parámos na aldeia, no café da Dª. Maria, para o cafézinho matinal e à mesa do café, pormos a conversa em dia.
Saímos depois, pelo velho estradão alcatroado, que liga S. Miguel a Oledo e daí, de novo a S. Gens, onde percorremos o mesmo percurso, agora em sentido inverso, de regresso a Castelo Branco.

deixámos o Ti João nos Escalos de Baixo e chegámos á cidade, com 71 kms pedalados á boa maneira cicloturistica.
O frio tarda em abandonar-nos. As fotos . . . essas, vão ficando adiadas, pois tirar as luvas para "disparar", neste caso, o telemóvel, não me agrada muito, por isso, ficamo-nos pela prosa.
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

"Tinalhas"

Com a manhã um pouco menos friorenta e com a ausência do vento gélido dos dias anteriores, compareceram junto ao Modelo, o Marco, o Filipe, o Fernando e eu, AC, para umas pedaladas calmas e descontraidas, que nos vão mantendo o cabedal, mais ou menos nivelado.
Combinámos ir injetar, via oral, a matinal dose de cafeína ao café Ginja, em Tinalhas.
Saímos pelo antigo triângulo, em direcção a Caféde e no alto do Salgueiro virámos à direita para o Juncal e Freixial do Campo e, pouco depois Tinalhas, onde efectuámos a paragem programada.

Depois da conversa sempre animada e das brincadeiras do costume, saímos em direcção à Barragem da Marateca, que circundámos, pelo antigo estradão, alcatroado hà uns anos a esta parte, até ao paredão.
Um pouco antes do paredão, encontrámos o amigo Pinto Infante, que lá ia numa das suas voltinhas exploratórias, em busca de mais alguma vereda, para o seu já famoso baú.
Dois dedos de conversa e despedimo-nos, rumando agora em direcção aos Escalos de Cima, onde encontrámos o "Ti João dos Escalos", o pai dos cicloturistas cá do burgo e arredores, pela idade, que "ainda manda a pranchada" a alguns, como costuma dizer, em especial áqueles que pedalam muito, mas "medram" pouco.
Um homem "castiço" e amigo da rapaziada.

Acompanhámo-lo até aos Escalos de Baixo, sua terra natal, e parámos no café à entrada da aldeia para a "sossega", regressando depois á cidade, onde chegámos pouco depois das 12h, com 61 kms pedalados de forma sossegada e em franca camaradagem.
Hoje não houve práticamente fotos, apenas uma, na barragem. Com luvas grossas e de telemóvel, não consigo dar com o botão de ligar/desligar. Para tirar as luvas, não dá lá muito jeito
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

domingo, 23 de janeiro de 2011

"Carapetosa"

Hoje, pela manhã e assim que assomei à rua, até as orelhas murcharam! Estava mesmo um frio de rachar e um vento gélido e bastante incomodativo.
Ainda assim, eu e o Pedro Barroca, fomos dar a voltinha matinal de fim de semana em Btt.
Saímos pelas 08h e planeámos ir hoje fazer uma passagem pela bonita Aldeia da Carapetosa, situada em local altaneiro e paralela à sua vizinha Ferrarias, na outra margem do Rio Ocreza.
Apontámos o azimute à Caseta dos Maxiais, onde cruzámos a estrada para o outro lado, encostando-nos à A23, até ao apeadeiro do Retaxo.
Passámos a ponte sobre a via férrea e dirigimo-nos ao Casal Farinheira, uma quintarola em tempos abandonada e por onde eu costumava passar para os eucaliptais, em direcção à Carapetosa.
Agora, a citada quinta já foi recuperada e toda aramada, com portões em todas as suas entradas/saídas, não sendo já possível efectuar aquele trajecto.
Ainda, duma forma sumária, eu e o Pedro demos por ali uma pedaladas, em busca duma passagem sobre o profundo vale, mas sem resultado. Lá irei noutra altura "vasculhar" a zona em busca dum trilho que dê acesso aos cabeços fronteiriços.
Voltámos então atrás e rumámos ao VG do Palheirão, virando à direita e pedalando numa pequena secção de trilhos, outrora engraçados, antes do corte dos eucaliptos.
Com uma pequena passagem pelos Amarelos, pois esquecera-me que aos domingos a padaria está fechada, voltámos de novo ao trilho para a Carapetosa.
Pedalámos quase sempre em descida, até ao cruzamento onde virámos á esquerda, para o ribeiro com o nome da aldeia.
Descida íngreme, onde a adrenalina quase chegou às orelhas, eh eh eh!!!
Seguiu-se a arfante subida à aldeia, que cruzámos na longitudinal, pois é assim que ela foi idealizada, com apenas uma rua, com casas dum lado e outro. Peculiar!
Encostámos depois à Estação das Sarnadas e após passagem nas traseiras da Serração, efectuámos a nossa paragem para o cafézinho matinal, nas Bombas de Combustível.
Já mais quentinhos, voltámos aos trilhos, agora com uma pequena passagem pelo Vale das Quedas, virando o azimute à Serra das Olelas, com passagem pelo Retaxo.
Subimos ao Complexo, lá bem no alto, e descemos pelo trilho do Campo de Tiro, agora um pouco mais complicado, na sua parte inicial, derivado à desmatação ali efectuada.
Cruzámos de novo o asfalto e voltámos ao estradão paralelo à A23, agora em sentido inverso e já em direcção a cidade, com passagem pelo Baixo da Maria, Talagueira e Lago.

Chegada pelas 12h, com 52 kms de divertidas pedaladas, calmamente e em trilhos pouco complicados.
Ainda só estamos em Janeiro!!!
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

sábado, 22 de janeiro de 2011

Soalheira e Marateca"

Oito companheiros arreganhados, compareceram hoje junto ao Modelo, para a voltinha asfáltica.
Eu, Silvério, Nuno Eusébio, Marco, Jorge Palma, Alvaro, Joaquim Cabarrão e Fernando.
Cerca das 09H15 fizémo-nos à estrada, rumo à Soalheira, para tomarmos o cafézinho matinal no Café do Cravo.
Apesar da manhã nos brindar com um sol brilhante, este não aquecia a rapaziada, que mal falava derivado ao "briol" que e fazia sentir. E então na passagem do "frigorífico" (zona do P. Campismo), o silêncio era total.
Passámos a Zona Industrial de Alcains e a seguir à rotunda da Lardosa, virámos à esquerda para a Barragem da Marateca, sempre bonita e com paisagens abrangentes.
Desta vez não fomos por S. Fiel, mas sim, pela "estradinha", que segue entre quintas até ao largo na Soalheira, onde parámos no café indicado.
Já aconchegadinhos e sempre na reinação, como é hábito neste grupo, seguiu-se a foto de grupo.
Rumámos seguidamente à Póvoa de Rio de Moinhos pela estrada que passa ao paredão da barragem, agora com um novo tapete de "alcatrão", o que já estimula a malta a passar por alí.
Na Póvoa, rumámos a Caféde, também por um antigo estradão alcatroado, entre quintas, chegando á cidade pelas 12h00, com 57 kms pedalados calmamente e em ambiente reinadio.
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

"Vale das Quedas"

Hoje fui dar uma voltinha com a minha CX, aproveitando a manhã solarenga, apesar do vento frio que se fazia sentir.
Sai pelas 09h30 e resolvi ir tomar o pequeno almoço à Padaria Canelas, na Aldeia dos Amarelos.
Saí da cidade pelo Valongo rumando à zona dos Maxiais.
Cruzei a ponte sobre a via férrea e pedalei no estradão paralelo à A23, até ao apeadeiro do Retaxo.
Passei no eucaliptal que antecede os Amarelos e parei na padaria. Depois do panike de chocolate, do sumo e um cafézinho no final, pedalei pelos trilhos habituais, até à Serração das Sarnadas e passei sob a A23, virando o azimute ao Vale das Quedas, onde me diverti na diversidade de trilhos que por ali abundam.
Subi depois às Olelas, diverti-me nos singles e lá no alto, fiz uma paragem de contemplação, para apreciar a magnífica vista sobre Castelo Branco e aldeias limítrofes e desci, rumando seguidamente á cidade, passando ainda pelo Maxiais.
Foram 40 kms a solo, onde usei e abusei da minha CX, companheira das voltas solitárias.
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
...ou fora deles.
AC

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

"Azenha de Cima"

Hoje, juntaram-se na Rotunda do Modelo, eu, o Micaelo, o Marco, o Fernando e o Joaquim Cabarrão.
o Micaelo foi hoje o elemento encarregado de definir a volta, ficando decidido irmos tomar o cafézinho matinal à Azenha de Cima.
Saímos em direcção às Sarzedas, com passagem na Taberna Seca, Vilares de Cima e Cabeço do Infante.
À saída de Sarzedas, voltámos à direita para a Azenha, onde parámos no único café existente.
Tomámos café, brincámos um pouco e montámos de novo as bikes, para pedalarmos pelo vale, com passagem por Vale Maria Dona, Grade, Pousafoles e Vale Ferradas.
Entroncámos seguidamente na estrada que nos levaria a Castelo Branco, passando ainda pelo Salgueiro do Campo.
61 kms pedalados numa manhã amena e solarenga, na companhia dum grupo divertido.
<>
Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

"Uma visita ao Vale de Prande

Hoje a volta tinha sido combinada para ser de asfáltica. Contudo, o denso nevoeiro que caíu sobre a cidade, levou-me a mudar de ideia.
Contactei o Mike e o Marco, os companheiros confirmados para hoje, e informei-os que com este nevoeiro não ía para a estrada, convidando-os a trocar a asfáltica pela de Btt.
Ambos acederam e estava criado o mote, para uma volta de btt, com um acumulado adequado para esta altura do ano, isto, na parte que me toca.
Saímos da cidade pelo Pinheiro Manso e Pedra da Légua, em direcção às passadouras da Rabaça.
Passámos Alcains e dirigimo-nos às passadouras, mas, surpresa nossa, quando chegámos ao local e não as encontrámos. E esta heim!!!
Estavam completamente submersas, sob o forte caudal que o Rio Ocresa levava hoje, possivelmente, derivado a alguma descarga na Barragem da Marateca.
Inversão de marcha e voltámos à Fábrica das Rações, contornando a rotunda junto à zona Industrial de Alcains e virámos à esquerda, na seguinte, em direcção à Póvoa de Rio de Moinhos.
Uns kms asfálticos, que não estavam programados. Nada de grave. Isto não é rapaziada que se atrapalhe.
Após passarmos a Ponte Pedrinha, virámos à esquerda para Caféde e duas centenas de metros mais á frente, voltámos aos trilhos, pela Quinta da Pacheca.
Chegámos à Póvoa de Rio de Moinhos e resolvemos tomar o cafézinho matinal naquela povoação.
Como o bar do Clube, estava fechado, fomos ao Restaurante do Alfredo.
Saímos depois pelo Largo da Igreja e entrámos no estradão que liga á barragem, mas, após passarmos a Fonte Nova, virámos à esquerda para a Mingrocha e Tagarral, entrando depois em Tinalhas pela Tapada da Queijeira.
Em Tinalhas, já não parámos, pois ainda levávamos o estômago aconchegadinho.
Após uma passagem por algumas das ruas da aldeia, saímos junto à Capela da Rainha Santa Isabel, entrando novamente nos trilhos pelo seu lado direito, descendo ao bonito Vale de Prande.
Contornámos o vale e voltámos a subir, agora entre os Vales do Pucarinho e das Barrocas, até chegarmos de novo às proximidades da capela.
Rumámos seguidamente ao VG do Nabo Redondo, descendo depois para o Vale do Nuno e Barroca do Fundo.
Passada a zona das Quintas de Valverde, entrámos no asfalto, que seguimos até ao cruzamento que dá acesso ao Couto do Vaz Preto e Tapada das Figueiras, onde passámos, entrando na cidade pela zona do Parque de Campismo e Pinheiro Manso.
Foram 60 kms pedalados em trilhos divertidos e com pouca altimetria, na agradável companhia dos amigos Marco e Micaelo.

Fiquem bem.
Vêmo-nos nos trilhos
. . .ou fora deles.
AC